ABORTO, como aceitar a legalização mesmo sendo contra o ato?!

By Aline Silveira - Cupido Brega - 01:34:00

Se você ainda acha que uma coisa impede a outra, senta ai e leia, pois precisamos pensar juntos sobre o assunto. 

Eu como uma vegetariana não poderia achar certo matar uma vida e o conceito de vida pra mim talvez seja um pouco mais amplo do que o da maioria. Então com isso posso dizer que não faria um aborto. Mas qual o meu direito de impor que isso seja um crime? Tratar aborto como crime e exigir que o estado deixe isso imposto na lei é a mesma coisa que eu sair por ai criando um movimento pedindo que seja crime comer um boi, um porco, uma vaca! Pois estamos tratando aqui de vidas também, porém de conceitos de vida que a sociedade ainda não encara com consenso. 

Inclusive, como eu sempre gosto de dizer que a gente precisa ir mais a fundo, nas raízes do problema, não podemos esquecer que tem um personagem da sociedade que facilmente esquece que o embrião formado é uma vida. Aliás, às vezes ele esquece quando já é uma criança, um adolescente e um adulto. O pai dessa vida. 

Eu leio argumentos de internet a fora do tipo ‘’ tem tanto jeito de se proteger, engravidou porque quis’’ pra não citar os mais pejorativos. Não tem como não falar de machismo essas horas! Ninguém fala do homem... Já a mulher... Bem, quando a mulher alega não ter capacidade psicológica, não ter apoio da família, não ter condições financeiras, tem sempre um julgador pra dizer ‘’minha mãe criou 10 filhos, tinha 3 empregos e conseguiu fazer tudo sozinha.’’ Que bom que tem quem consegue. Mas ninguém é obrigado a ser HEROÍNA o tempo todo! 

Ninguém pode se sentir vítima da sociedade machista que vai cobrar de todas as mulheres ter esses atos heróicos enquanto o homem que não quis assumir o filho paga R$100,00 de pensão e acha que faz muito né?! Do cara, ninguém fala. E quando por um raro caso um homem tem esse papel de pai e mãe, todo mundo o usa de exemplo pra dizer que a mulher ta se fazendo de coitada. Quantos homens que você conhece criaram filhos sozinhos? Quantas mulheres? 

Outro absurdo que eu li foi sobre deixar a criança nascer e dar para adoção em alguma instituição. Eu quase dei risada, se não fosse de chorar! Isso até me deu inspiração pra futuramente falar sobre orfanatos e processos de adoção aqui no Brasil, porque tem gente que tá precisando ler sobre o tema. 

Eu não tenho o menor direito de decidir sobre o corpo de outra pessoa, sobre o desespero da falta de escolhas de uma outra pessoa, sobre o conceito dela de quando começa a vida. 

Até porque eu sei que o aborto deixando de ser um crime, abre uma possibilidade dessas futuras mães, muitas vezes desesperadas, poder procurar por profissionais da saúde e ajuda psicológica, podendo assim falar abertamente sobre as intenções que tem. Fora que deixar de ser crime, não é obrigar a ninguém a fazer e pode ajudar inclusive a diminuir o problema lá na sua raiz, já que as coisas deixam de ser clandestinas. 

Eu fiz a analogia com meu vegetarianismo, pois eu precisava deixar claro que a questão é bem mais profunda que o aborto, é a sociedade como um todo. São muitas camadas, e as pessoas não devem julgar de acordo com suas realidades, decisões que envolvem realidades completamente diferentes. 


Eu fiz um vídeo já a um tempinho, mas acho que ele complemente bem o que escrevi. 

Nele eu faço uma visão geral de como a estrutura da saúde deveria mudar para que o aborto legalizado realmente possa ajudar pessoas, entre outras coisas.



Facebook 💚 Instagram 💚 Twitter 💚 Snapchat 💚 YouTube

  • Share:

VOCÊ PODE GOSTAR TAMBÉM

11 comentários

  1. Oi, Aline!
    Eu amei seu texto. De verdade!
    Realmente é um absurdo isso de deixar a criança pra adoção. Mas aí fica: quem garante que ela vai ser adotada?
    No momento eu não posso ver seu vídeo, mas salvei para dar uma olhada depois.
    Beijos
    Balaio de Babados
    Participe da promoção seis anos de Caverna Literária

    ResponderExcluir
  2. Olha flor esse tema é duro viu?!
    Sou contra o aborto, mas quando penso nas crianças que sofrem abusos e o desamparo fica complicado....

    Temos post sempre novo no ar!
    Beijos!!!
    Inspirações pra sua Casa Blog A primeira Casa
    Estou no Facebook com Minhas Inspirações

    ResponderExcluir
  3. Muito bom o texto! Super concordo com você! Apesar de ser Cristã e ser completamente a favor da vida, isto não impede que eu apoie a legalização do aborto! Pena, muitas pessoas só pensam em seus interesses e defender apenas seu ponto vista!

    https://thaydreams.blogspot.com.br/2016/11/bolo-de-gengibre-e-canela.html

    ResponderExcluir
  4. Oi Aline.

    Muito denso (e tenso) este assunto abordado, então parabéns pelas argumentações.
    De fato, como você, eu não concordo com o ato, mas não concordo que a minha opinião seja lei para as outras pessoas que concordarem, pois isso não melhorará em nada a vida de ninguém, o que é crime no conceito moral apenas passará a ser também no conceito legislativo, mas cada caso continuará sendo cada caso, com suas peculiaridades e dificuldades intrínsecas, com pouquíssimas pessoas dispostas a ajudar.

    Gostei da descrição de empatia com a ilustração verdadeiramente triste.

    Parabéns pelo texto.

    Beijos.
    Alana Marques
    colecionadoresdelivross.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. Oi Aline, estou no trabalho e vou deixar para assistir seu vídeo mais tarde, mas eu li o texto todo. Gostei de você ter colocado tua opinião de uma maneira empática.
    É um assunto muito sério que ainda não consigo opinar. Eu sou a favor da vida, mas o meu direito é apenas sobre meu corpo e meus atos. E se uma mulher sofre abuso, ela vai ter condições psicológicas para criar o fruto de um trauma? Mas e se esta medida for a escolha de muitas mulheres como só mais um método para não ter filhos? E as mulheres morrendo em clínicas clandestinas?
    DIFÍCIL.
    Charme-se

    ResponderExcluir
  6. Olá Aline achei muito interessante o post. Já que é um assunto que tem dado o que falar. Bom eu não sou a favor do aborto, de modo que não faria um. Mas cada caso é um caso e não podemos julgar ninguém, parece que as pessoas não aprenderam isso ! Agora não podemos desconsiderar o fato de que á pros e contras a essa situação. Mas acho que quem tem que decidir é a própria pessoa não acha ? Não posso impor a ninguém a minha opinião. Ótimo post parabéns. Beijos

    Os Papos Femininos

    ResponderExcluir
  7. Aline esse assunto é muito dificil de falar, pois cada um tem uma opinião diferente, eu por exemplo sou contra o abordo, só quem pode tirar a vida é Deus, Aline seguindo seu blog também bjs.
    http://www.lucimarmoreira.com/

    ResponderExcluir
  8. Realmente esse assunto é bem polêmico. Cada mulher tem o direito sobre o próprio corpo. Tive uma amiga que tinha direito ao aborto pois o filho tinha má formação( hidrocefalia com poucas chances de sobrevivência), mesmo assim ela insistiu em ter a criança: nasceu em um dia e morreu no outro.
    Fiquei triste com ela e sei o quanto ela sofreu, portanto eu no lugar dela teria feito. Assim como casos de estupro.
    Big Beijos
    Lulu on the Sky
    Conheça meu canal YT

    ResponderExcluir
  9. Oi, Aline! Sinceramente, adorei seu texto, pois mostrou como a legalização do aborto não obriga ninguém a abortar. Eu, por exemplo, sou a favor do aborto, mas acredito que não faria (apenas se fosse em algum caso extremo). Ou seja, uma coisa não leva a outra! Beijinhos, Beatriz.

    www.odiariodeumaescritorainiciante.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  10. Adorei seu blog e estou seguindo <3
    Acho que deveriam liberar logo, porque mesmo sem ser legalizado, as mulheres estão fazendo, é questão de ter menos mulheres mortas por realizar abortos clandestinos.
    Acho que também quem é contra, é só não abortar, e deixar a pessoa que quer abortar cuidar da vida dela.
    É pecado????? Não peque, deixa quem quiser pecar!
    Abçs

    diamanteturquesa.blogspot.com

    ResponderExcluir
  11. Olá Aline, tudo bem?
    Acredito que tudo na vida tem seu lado positivo e negativo então sempre haverá discordâncias mas é obrigação de cada um respeitar.
    Beijos!

    http://excentricagarota.blogspot.com.br

    ResponderExcluir